sábado, 31 de março de 2012

Caro Amigo Zé Augustho,

Acuso o recebimento da revista Fala Brasil, edição 148.
Parabenizo mais uma vez por sua dedicação e pela qualidade de seu trabalho para divulgar a produção cultural e estimular a reflexão estética.

Maestro Borges-Cunha
Zé ,recebi o jornal Fala Brasil e adorei.É um jornal cultural muito bom.
Agradeço muito e gostaria de continuar recebendo.Não tenho nada
a pagar?
Sou escritora e poetisa e aqui em Osório não temos nenhum periódico
voltado exclusivamente para a cultura.Escrevo na internet em vários
sites :Recanto das Letras,Artistas Gaúchos,Beco dos poetas e dos
escritores,no site da nossa Academia: www.aeln.org e no LitoralMania.
Meu blog é:sonhadorasuelybraga.blogspot.com
Abraços
Suely Braga

quinta-feira, 29 de março de 2012


Eu grito por árvores novas
Eu quero-quero uma junta médica
de formigas brancas
para limpar a sujeira
dos plásticos coloridos...

(poesia e arte-Zé Augustho Marques)

quarta-feira, 28 de março de 2012

De última hora...

        O encontro histórico entre Fidel

         e o Papa Bento  XVI !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

         _ Quem os absolverá ou absorverá?
                           
          _ Ou nenhuma das alternativas?

Ademilde Fonseca

!!!!!!!!!!!!!


Ideia original: Zé Augustho Marques
Arte:Marcos Porto
A ARTE E A CIDADE
 
 
 
Quando o tema é a qualidade de vida nas grandes cidades, interrogamos
o desequilíbrio do meio ambiente, o desemprego, a deficiência de
moradia... decorrentes de um modelo de desenvolvimento que se
caracteriza por favorecer padrões de concentração de renda e poder.
Não pensamos na visualidade urbana. Diante de tanta reivindicação não
resta tempo para pensar a “beleza” como um componente que qualifica o
ambiente cultural das cidades. Na cidade moderna, produto da sociedade
industrial, a integração arte / arquitetura foi um princípio racional
contra o desperdício de decorações, imposto pelo gosto eclético do
século XVIII.
 
 
 
As relações: arte / arquitetura, arte / cidade dizem respeito à
qualidade ambiental, são ingredientes que de vez em quando aparecem
nas reformas urbanas, no paisagismo, nos espaços e edifícios públicos
e privados. No século XIX, a cidade conta com um acervo de monumentos
e se transforma num museu. Os monumentos arquitetônicos se destacam no
tecido urbano e nos centros das praças são instaladas estátuas de
algum indivíduo homenageado pelos seus feitos e ações. A burguesia, ao
contrário das sociedades arcaicas, planeja o entorno, marca o urbano
com suas estátuas. Até o horizonte das experiências estéticas dos anos
60 do século passado, quando o Minimalismo superou o conceito
tradicional de escultura, transformando o objeto escultórico em
elemento de composição espacial, quase arquitetônico. Formas
geométricas primárias, como protótipos industriais, são inseridos no
urbano, destacando-se na paisagem pela monumentalidade.
 
 
 
Com os investimentos das grandes cidades voltados para obras básicas,
cidades oneradas por problemas financeiros e sociais, sem grandes
recursos, sem uma tradição de política cultural no planejamento
urbano, como imaginar a arte pública neste contexto?  Quando
intervenções em nome da arte são executados de maneira casuísticas e
personalistas, respondendo às vezes a interesses de ocasião, sem
qualquer relação com o entorno, distante do que entendemos como arte,
um  adorno na paisagem, neste caso a obra de arte deixa de ser uma
contribuição positiva para a visualidade urbana. Não vamos resolver o
problema com legislação, sem um programa de educação para as artes e
sem consciência de cidadania. É preciso educar os que decidem o
destino da cidade com um programa específico de apoio às artes.
 
 
 
No Brasil a integração arte / arquitetura foi uma preocupação do
modernismo, como podemos constatar na casa modernista em São Paulo em
1930, projetada por Gregor Warchauchik obedecendo aos ideais da
Bauhaus. No final da década de 30, no Rio de Janeiro o prédio do
Ministério da Educação e Cultura sob a coordenação de Le Corbusier com
participação de arquitetos como Lúcio Costa e Oscar Niemeyer, os
artistas plásticos Cândido Portinari e Bruno Giorgi foram convidados
para participar da concretização do projeto. Em Salvador, uma
legislação dos anos 50 obrigava a cada projeto arquitetônico a
reservar um percentual de seu orçamento para uma obra de arte.  E o
espaço público?  Pouco foi feito para valorizar o espaço urbano com a
presença da obra de arte. Intervenções que ignoram o contexto, a
escala, cultura e a contemporaneidade da cidade, confirmam o
crescimento desordenado e o provincianismo da cidade.
 
 
 
Se é possível falar de uma estética do espaço urbano, ela é resultado
da relação que os elementos construtivos mantém entre si  e com o
todo, nem sempre considerada nas reformas urbanas. Um exemplo: Praça
da Sé, centro histórico da Cidade do Salvador, palco de várias
reformas, o que fazer com uma fonte luminosa, que mais parece um
elemento decorativo, uma maquiagem para ocupar um pedaço abandonado da
Praça? Um espaço que poderia ser revitalizado do ponto de vista visual
e ambiental com esculturas contemporâneas. A meu ver, é oportuno o
pensar sobre a arte pública numa cidade onde o fazer artístico e sua
intervenção no urbano
é uma relação ainda empírica.
 
 
 
Almandrade
 
(artista plástico, poeta e arquiteto)
 
www.provadoartista.com.br/almandrade.html

terça-feira, 27 de março de 2012

zé oi,
 
obrigado pelo jornal e principalmente pelo envelope
valeu
 
Fernando Baril





Caro ZÈ AUGUSTO

O seu FALA BRASIL ENCONTRA-SE Num crescendo de quantidade de de qualidade nunca negado

Anexo algumas outras macaquices e uma construção dinossáurica em homenagem a alguns arquitetos que perderam o rumo e prumo......
 
Círio Simon

segunda-feira, 26 de março de 2012

Obrigado Zé Augustho,

Foi um prêmio para toda a cultura do sul.
Ficamos felizes...

Abraços e obrigado pela divulgação.
Kleiton
Salve, salve,
Porto Alegre!
Teus “240 Anos”,
vamos exaltar!
O dia já amanheceu sorrindo,
para Parabéns nas ruas,
irmanados no teu amor,
podermos cantar.
Cidade natal,
que tanto orgulho me traz,
onde é impossível escolher um só local,
pois todos, me atraem demais.
És bela, leal e valorosa!
E para mim
e muitas pessoas mais,
igual outra não há!
Que as bênçãos divinas,
estejam sempre
contigo
e com Todos Nós!!!
Graça Garcia
Compositora, Cantora e Atriz
Vídeos no Youtube-Facebook

domingo, 25 de março de 2012

Estimado Zé Augusto,

Tu és um patrimônio de nossa Porto Alegre e do Brasil.
Parabéns por sua contribuição para valorizar nossa cultura.
FALA BRASIL.
 
Abraço,
 
Maestro Antônio Borges-Cunha


 Akira Kurosawa (estudo- Zé Augustho Marques)

Memória Cultural


Zé Augustho e Leonardo no show de Sérgio Rojas

               Nú das águas



Ágora de borbulhas

vestidas com véus bordados

pelo azul branco pele

de arquiteturas audíveis

sereia de alvura

nua brancura

dói a beleza...



Zé Augustho Marques
(foto arte poesia)
Parabéns pela tua cultura.
Tens muita sensibilidade e cultura em geral.
 
ABÇ.
Roseli Deon

sábado, 24 de março de 2012

Porto Alegre
Francisca de Carvalho Messa

A cidade sorriso
Está de aniversário
Completa 240 anos
Continua sorrindo
Para seus moradores
As flores abrindo
Cada primavera,
São jacarandás
A cidade se veste de lilás
Ladeando as ruas
Exalando doce aroma
Adotei-te Porto Alegre
Moro aqui há 40 anos
Nesta cidade alegre
Fui bem recebida
Por isso fiquei
Não pretendo sair
Porto Alegre tens grude
No teu solo, criei raízes
Neste chão hospitaleiro
Há o pôr do sol
Mais lindo
Do mundo
Deus te abençoe
Porto Alegre
Pelo aniversário







Lágrimas da natureza para Chico
(foto Ieda Cabrera)






Chico Anysio não morreu.


             Agora  o Brasil troca o riso

                              pela lágrima...


sexta-feira, 23 de março de 2012


Ato Institucional Permanente


A Carlos Heitor Cony



Artigo I.
Fica decretado que agora vale a verdade.

que agora vale a vida,

e que de mãos dadas,

trabalharemos todos pela vida verdadeira.


Artigo II.
Fica decretado que todos os dias da semana,

inclusive as terças-feiras mais cinzentas,

têm direito a converter-se em manhãs de domingo.


Artigo III.
Fica decretado que, a partir deste instante,

haverá girassóis em todas as janelas,

que os girassóis terão direito

a abrir-se dentro da sombra;

e que as janelas devem permanecer, o dia inteiro,

abertas para o verde onde cresce a esperança.


Artigo IV.
Fica decretado que o homem

não precisará nunca mais

duvidar do homem.

Que o homem confiará no homem

como a palmeira confia no vento,

como o vento confia no ar,

como o ar confia no campo azul do céu.


Parágrafo Único:
O homem confiará no homem

como um menino confia em outro menino.


Artigo V.
Fica decretado que os homens

estão livres do jugo da mentira.

Nunca mais será preciso usar

a couraça do silêncio

nem a armadura de palavras.

O homem se sentará à mesa

com seu olhar limpo

porque a verdade passará a ser servida

antes da sobremesa.


Artigo VI.
Fica estabelecida, durante dez séculos,

a prática sonhada pelo profeta Isaías,

e o lobo e o cordeiro pastarão juntos

e a comida de ambos terá o mesmo gosto de aurora.


Artigo VII.
Por decreto irrevogável fica estabelecido

o reinado permanente da justiça e da claridade,

e a alegria será uma bandeira generosa

para sempre desfraldada na alma do povo.


Artigo VIII.
Fica decretado que a maior dor

sempre foi e será sempre

não poder dar-se amor a quem se ama

e saber que é a água

que dá à planta o milagre da flor.


Artigo IX.
Fica permitido que o pão de cada dia

tenha no homem o sinal de seu suor.

Mas que sobretudo tenha sempre

o quente sabor da ternura.


Artigo X.
Fica permitido a qualquer pessoa,

a qualquer hora da vida,

o uso do traje branco.


Artigo XI.
Fica decretado, por definição,

que o homem é um animal que ama

e que por isso é belo.

muito mais belo que a estrela da manhã.


Artigo XII.
Decreta-se que nada será obrigado nem proibido.

tudo será permitido,

inclusive brincar com os rinocerontes

e caminhar pelas tardes

com uma imensa begônia na lapela.


Parágrafo único:
Só uma coisa fica proibida:

amar sem amor.


Artigo XIII.
Fica decretado que o dinheiro

não poderá nunca mais comprar

o sol das manhãs vindouras.

Expulso do grande baú do medo,

o dinheiro se transformará em uma espada fraternal

para defender o direito de cantar

e a festa do dia que chegou.


Artigo Final.
Fica proibido o uso da palavra liberdade.

a qual será suprimida dos dicionários

e do pântano enganoso das bocas.

A partir deste instante

a liberdade será algo vivo e transparente

como um fogo ou um rio,

e a sua morada será sempre

o coração do homem.



Santiago do Chile, abril de 1964


Publicado no livro Faz Escuro Mas Eu Canto: Porque a Manhã Vai Chegar 1965.


In: MELLO, Thiago de. Vento geral, 1951/1981: doze livros de poemas. 2.ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 198

quinta-feira, 22 de março de 2012

RECOMENDO



Leia e ouça com ouvidos de criança,
esta bela invenção,
musical e poética
de Jairo Luiz de Souza e Zé Caradípia
...Mariana en canto é um encanto....

Zé Augustho Marques


contatos com os autores:
Zé Caradípia: caradipia1@hotmail.com



quarta-feira, 21 de março de 2012

No seu JORNAL SOMOS TODOS IMPORTANTES e IMORTAIS em tão BOA COMPANHIA.

Veja a o HOMENAGEM que presto ao BISPO do ROSÁRIO em

Círio
Sobre a novela do Magistério:

capítulo de hoje - Lei é lei?

                             Ou lei não é mais lei?

Que Estado é este?...

Zé Augustho Marques  em triste poesia.
Parabéns pela data de hoje!

Abração e beijão ao meu amigo poeta mais próximo!
 
Paulo
 
(Paulo Torres Garcia)

Dia Internacional da Poesia

(foto-arte   Zé Augustho)

Exposição no Santander de Arthur Bispo do Rosário

Público presente

Vinício Giacomeli, Zé Augustho e prof. Círio Simon

(fotos Miguel Costa)

terça-feira, 20 de março de 2012

Ze Augusto,
Parabens pelo sucesso das arvores! 
Que a exposiçao viaje mundo afora.
Ai vai um poema mudo.
Um abraço,
Mônica

PALAVRA


Mônica C. Hanson (3/20/12)
(USA)
Palavra, por quê me foges?
Por quê me calas a fala?
Por quê dormes meu sentir,
que antes transbordavas?
Será por
torturar as mãos,
que antes te lapidavam?
Palavra vazia,
palavra vicia,
pois é semente de poesia.


                                             Floral de água e mãos

                                                          Nas maõs de Senir

                                                          Está bordado o líquido

                                                          Que deságua água-flor

                                                          Na poesia do olhar.

                                                                         Zé Augustho Marques

(foto Senir Sander)
ESCRITOR ALCIONE SORTICA ELEITO PERSONALIDADE NOTÁVEL 2012, RECEBE TROFÉU PEDRO ALEIXO – CATEGORIA ESPECIAL - EM ITABIRA (MG)

O Escritor Gaúcho Alcione Sortica, por indicação de Delasnieve Miranda Daspet de Souza - Embaixadora Universal da Paz pelo Cercle Universel des Ambassadeurs de la Paix Genebra -Suiça e Embaixadora para o Brasil da Associação Internacional PoetasDel Mundo, foi eleito Personalidade Notável 2012, recebendo o Troféu Pedro Aleixo - Categoria Especial. A premiação teve lugar no dia 10 de março de 2012, em festa realizada na sociedade ATIVA, da cidade mineira de Itabira. Este prêmio enaltece artistas e outros profissionais que tiveram destaque na cena brasileira por sua obra, contribuição social, cultural e política.
ESCRITOR ALCIONE SORTICA ELEITO PERSONALIDADE NOTÁVEL 2012, RECEBE TROFÉU PEDRO ALEIXO – CATEGORIA ESPECIAL - EM ITABIRA (MG)
O Escritor Gaúcho Alcione Sortica, por indicação de Delasnieve Miranda Daspet de Souza - Embaixadora Universal da Paz pelo Cercle Universel des Ambassadeurs de la Paix Genebra -Suiça e Embaixadora para o Brasil da Associação Internacional PoetasDel Mundo, foi eleito Personalidade Notável 2012, recebendo o Troféu Pedro Aleixo - Categoria Especial. A premiação teve lugar no dia 10 de março de 2012, em festa realizada na sociedade ATIVA, da cidade mineira de Itabira. Este prêmio enaltece artistas e outros profissionais que tiveram destaque na cena brasileira por sua obra, contribuição social, cultural e política.
Presentes ao ato a esposa do homenageado Ivone Almansa Sortica e filhos Eduardo e Marta.
Na mesma ocasião foram homenageadas Mulheres Notáveis com o Troféu Cecília Meireles (na sua 14ªedição) e os Profissionais da Saúde com o Troféu Carlos Chagas (na sua 5ªedição).
O evento teve a chancela do Colunista Social Eustáquio Lúcio Félix e prestigiado pelo Prefeito Municipal de Itabira, João Izael Querino e por autoridades locais.
Pedro Aleixo foi político brasileiro (Vice-Presidente da República no Governo Costa e Silva), Jornalista (Fundador do Jornal Estado de Minas) e Jurista. De acordo com os organizadores do evento principal, o objetivo é apontar, distinguir, enaltecer, destacar, elevar, evidenciar e comemorar o sucesso de quem tem dado a sua contribuição para a cultura nacional.


Presentes ao ato a esposa do homenageado Ivone Almansa Sortica e filhos Eduardo e Marta.

Na mesma ocasião foram homenageadas Mulheres Notáveis com o Troféu Cecília Meireles (na sua 14ªedição) e os Profissionais da Saúde com o Troféu Carlos Chagas (na sua 5ªedição).

O evento teve a chancela do Colunista Social Eustáquio Lúcio Félix e prestigiado pelo Prefeito Municipal de Itabira, João Izael Querino e por autoridades locais.

Pedro Aleixo foi político brasileiro (Vice-Presidente da República no Governo Costa e Silva), Jornalista (Fundador do Jornal Estado de Minas) e Jurista. De acordo com os organizadores do evento principal, o objetivo é apontar, distinguir, enaltecer, destacar, elevar, evidenciar e comemorar o sucesso de quem tem dado a sua contribuição para a cultura nacional.

segunda-feira, 19 de março de 2012

Que Árvore você quer para o futuro?






A exposição "Que árvore você quer para o futuro?",
foi inaugurada hoje na Assembléia Legislativa do RS,
 e ficará até dia 23 de março.
(fotos Andréa Weschenfelder)

Parceria

 Zé Augustho e Patrícia Mello são parceiros na música. Algumas dessas parcerias estão postadas na  página do Clube Caiubi de Compositores.
 As músicas são de nº: 9, 13 e 16.
 
Letra: Zé Augustho Marques, 
Voz, violão e arranjos de base: Patrícia Mello,
Baixo: Ayrton Zettermann,
Programação eletrônica, aranjos e
produção musical: Heinoê Ferreira.
 



domingo, 18 de março de 2012

Lançamento Livro-CD - MARIANA

Show de Zé Caradipia e Elisa


Zé Augustho, Dinorah e Elisa  Fernandes

Música Zé Caradípia
Poemas para crianças Jairo Luiz de Souza
O lançamento foi dia 17.03 na Livraria Cultura (Bourbon Country)
(fotos Rosane Furtado)

sexta-feira, 16 de março de 2012

Poesia para Chimendes


      



Vejo tons de Bizâncio e Tânger

Nesse azul gelado

que esquece o que é desenho

e poesia...

Todos os artistas trazem a

marca de sua época.

Todo homem nasce da arte!



Zé Augustho Marques  - poesia

Paulo Chimendes - desenho

Poesia para Dolores


"PARA ENFEITAR A NOITE DO MEU BEM"
para ouvir a voz dessa voz mais
que linda. Não finda!

( poesia e info-foto Zé Augustho Marques)

quinta-feira, 15 de março de 2012

quarta-feira, 14 de março de 2012

Obrigado,
tá lindo o blogue.
Raul Ellwanger.
Meus queridos poetas,

Porque a cada verso vocês fazem do mundo um lugar melhor, obrigada!

Beijo,

Jane Tutikian
Olá Zé,

Acabei de receber os exemplares do jornal que vc me mandou,e só tenho uma pergunta para te fazer;-Mas o que é esse envelope????Um absurdo de tão lindo e original,AMEI!!!!!!!!!!!!!Não tinha coragem de abrir para não estragar nenhum traço...
Vou querer receber sempre assim!!!!!!!!!!!!
Bj querido e obrigada,
 
Rosana Spritzer

DIA DA POESIA


POESIA DE QUEM BEIJA
POESIA EM FLOR
(artefoto Ieda Cabrera)






POESIA DE QUEM LÊ

arte foto com pintura: Zé Augustho Marques

CLIPE - ASSIM NÃO DÁ - GREICE MORELLI_FINALIZADO-SEM D.mpg
00:03:34
Adicionado em 08/02/2012
106 exibições
Amigos!!
 
Esse clipe ( no link a baixo) foi produzido pelo meu querido amigo
Berbel, qdo recentemente estive no Rio.
E essa é uma das canções de HOJE,  logo mais, à noite, qdo estarei
recebendo a todos p o Show de lançamento do meu novo CD, Lugar de
Mulher, q acontecerá ás 19h no Teatro Dante Barone,- Assembleia
Legislativa- RS, com ENTRADA FRANCA.
A banda, sensacional, é composta por Marquinhos Fe, Everson Vargas,
Domingos Cray, Paulinho Cardoso, Javier Mendez e New, q assina
arranjos e Dir. Musical.
A Direção Geral é de Ivo Schergl Jr, com textos de Vivian Perl,
cenários de Mariangela Felipe e figurinos de Bianca Freitas.
Na  luz está o Azevedo, operando o nosso som, o super Rafael Roden e a
produção é da nossa prestimosa Rosane Furtado. Teremos a participação
especialíssima de Zé Caradípia e Adriana Sperandir
A equipe é bárbara , mas a festa só estará completa com a sua presença, ok??
Ate daqui a pouco!!!!
 
http://www.youtube.com/watch?v=0TIPIKkASI0

segunda-feira, 12 de março de 2012

DEUS

As palavras abaixo são de Baruch Spinoza - nascido em 1632 em
Amsterdã, falecido em Haia em 21 de fevereiro de 1677, foi um dos
grandes racionalistas do século XVII dentro da chamada Filosofia
Moderna, juntamente com René Descartes e Gottfried Leibniz.
 Acredite, essas palavras foram ditas em pleno Século XVII.


DEUS SEGUNDO SPINOZA   ( Deus falando com você )


“Pára de ficar rezando e batendo no peito!
 O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida.
 Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que eu fiz para ti.
 Pára de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo
 construíste e que acreditas ser a minha casa
 Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias.
 Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti.
 Pára de me culpar da tua vida miserável:
 Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que
 tua sexualidade fosse algo mau.
 O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu
 amor, teu êxtase, tua alegria.
 Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer.
 Pára de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo.
 Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus
 amigos, nos olhos de teu filhinho...
 Não me encontrarás em nenhum livro.
 Confia em mim e deixa de me pedir. Tu vais me dizer como fazer meu trabalho?
 Pára de ter tanto medo de mim. Eu não te julgo, nem te critico, nem me
 irrito, nem te incomodo, nem te castigo.    Eu sou puro amor.
 Pára de me pedir perdão. Não há nada a perdoar.
 Se Eu te fiz... Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de
 sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio.
 Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti?
 Como posso te castigar por seres como és, se Eu sou quem te fez?
 Crês que eu poderia criar um lugar para queimar a todos meus filhos
 que não se comportem bem, pelo resto da eternidade?
 Que tipo de Deus pode fazer isso?
 Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei; essas são
 artimanhas para te manipular, para te controlar, que só geram culpa em ti.
 Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti.
 A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida, que teu
 estado de alerta seja teu guia.
 Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem
 um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso.
 Esta vida é a única que há aqui e agora, e a única que precisas.
 Eu te fiz absolutamente livre. Não há prêmios nem castigos.
 Não há pecados nem virtudes. Ninguém leva um placar. Ninguém leva um registro.
 Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno.
 Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um conselho.
 Viva como se não o houvesse.
 Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir.
 Assim, se não há nada, terás aproveitado da oportunidade que te dei.
 E se houver, tem certeza que Eu não vou te perguntar se foste comportado ou não.
 Eu vou te perguntar se tu gostaste, se te divertiste... Do que mais
 gostaste? O que aprendeste?
 Pára de crer em mim - crer é supor, adivinhar, imaginar.
 Eu não quero que acredites em mim. Quero que me sintas em ti.
 Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada, quando agasalhas
 tua filhinha, quando acaricias teu cachorro, quando tomas banho no
 mar.
 Pára de louvar-me! Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que Eu seja?
 Me aborrece que me louvem. Me cansa que agradeçam.
 Tu te sentes grato? Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo.
 Te sentes olhado, surpreendido?... Expressa tua alegria! Esse é o jeito de me louvar.
 Pára de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te ensinaram sobre mim.
 A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo, e que este mundo está cheio de maravilhas.
 Para que precisas de mais milagres?
 Para que tantas explicações?
 Não me procures fora! Não me acharás. Procura-me dentro de ti... aí é que estou."
 Einstein, quando perguntado se acreditava em Deus, respondeu:
“Acredito no Deus de Spinoza, que se revela por si mesmo na harmonia
 de tudo o que existe.”
 "As pessoas não são nobres desde o nascimento, mas se enobrecem por
 meio de suas ações".

 Daisaku Ikeda

domingo, 11 de março de 2012


Violinal

Toca a música de
Stephane Grapelli, de
Vagner Cunha, de
Paganínicas cores!

Poesia-Zé Augustho
Pintor-Andrew


                          O gosto que se discute

                                  por Zé Augustho Marques



Pierre Bourdieu, um dos maiores sociólogos do século 20, falecido em 2002, denuncia em seus livros as distorções na produção da cultura e a manutenção de seus preconceitos nos sistemas educacionais. Bourdieu, mesmo gerando controvérsia, em sua literatura, relata todos os condicionamentos materiais e simbólicos que agem sobre nós, como (sociedade e indivíduos), tonificando esta complexa relação de interdependência, onde conclui que, a posição social ou poder que detemos na sociedade, não dependem apenas de prestígio que desfrutamos, por possuírmos escolaridade, bons livros, bons quadros nas paredes, mas sim, na articulação de sentidos que esses aspectos podem assumir em cada momento de nossas vidas. Portanto, faz um parêntese para cientificizar o uso das estatísticas e procedimentos tecnológicos, sempre vigilantes como ciência da informação não midiática! Por pequena síntese dessa resenha, digo eu que Bourdieu, nos ensina a pensar a cultura como pluralizadoras formas do saber intelectual, gerando bom gosto, e diminuindo a massificação do "habitus inoportunus" que a televisão e o rádio, ainda impõem aos seus dominados, teleaudioespectadores, sempre travestidos de frutas podres no "pot pourri"(pote podre) das identificações...

Livro recomendado: "A Distinção"

Editora Zouk

sexta-feira, 9 de março de 2012


Mulher da Flor Musical

Viaja sob a flor congelada de sangue
na vida das cores...
Tem fome de violinos e cordas!
Suicidar-se-à sob os beliscões
que desenham toda harmonia e
sedução. Parou a morte. Parou!
Parou a rotação da terra!

Obra de Andrew
Poesia Zé Augustho

                          

quinta-feira, 8 de março de 2012

Dia Internacional da Mulher

Duas grandes mulheres das artes

a frente do seu tempo

APHRA BEHN


Nascida em julho de 1640 na Inglaterra, Aphra foi a primeira mulher a se tornar escritora profissional no Reino Unido. Sua vida e obra foram pouco convencionais e, avançadas demais para sua época. Produziu mais de 18 peças teatrais, dois romances e incontáveis poemas, quase sempre explorando a sagacidade do desejo lésbico. Iluminou em seu romance mais famoso "Oroonoko" a narrativa sobre a real escravidão africana, denunciando ao mundo das artes sua determinação de mulher, e de livre pensamento e independente. Morre em 1689.


COLETTE

Sidonie Gabrielle Colette (1873-1954), escritora e artista francesa, celebrou em sua época, o erotismo e a sensualidade da mulher numa escrita incomum e ficcional na construção do tema "feminilidade". Seu romance mais famoso "Gigi", adaptado para a Broadway por Anita Loos, com o papel principal para a então (ilustre) desconhecida Audrey Hepburn, lida com a socialização e a esfera dominadora do mundo masculino, em torno dessa jovem. Gigi, é o espelho e o reflexo dessa escritora e artista dos cabarés parisienses, nos anos da Bèlle Èpoque e Boêmia, sempre defensora da liberdade sexual e que também cortejava o escândalo sempre que possível desnudando os seios e simulando "ato sexual" durante suas performances no lendário Moulin Rouge. Aos 70 anos, assim como "Chèrri", adaptação de seu romance mais bem sucedido financeiramente , Colette assumiria sem nenhum pudor, que ainda continuava a ter amantes, homens e mulheres.

Zé Augustho Marques

quarta-feira, 7 de março de 2012

Boa noite, caro poeta Zé Augustho!

Enviei-lhe o soneto, mas não precisava você se preocupar
com a publicação, rsss.

Assim, fico encabulado de lhe enviar outros, rsss.

De qualquer forma, muito obrigado.

Hoje postei um anúncio publicitário do BUSCAPÉ, no
Recanto das Letras, sob o título DIVULGANDO LIVROS,
e transcrevi o seu escrito publicado no FALA BRASIL,
com todos os dados sobre a sua ilustre pessoa.

Caso queira dar uma olhada, ver se aprova ou não, veja
no Recanto, onde me assino como Gomes da Silveira.

Um abraço amigo e solidário, nobre gaúcho,

João Gomes

Exposição "O Triunfo do Contemporâneo" no Santander

Zé Augustho, Ana Beatriz e Caetano

Detalhe-público

Detalhe-público

Ana Beatriz e Caetano em frente a obra de Nuno Ramos

Gilberto, Zé Augustho e Roseli Deon com a obra de Plínio Benhardt

VERNISSAGE DIA 06.03 NO SANTANDER CULTURAL
(fotos MIGUEL COSTA)